NUMERO DE VISITANTES CL MANIACOS AGRADEÇE A TODOS VOCES

TRADUTOR

10 de dez de 2015

Claudia Leitte muda dieta para carnaval e avisa: 'Não quero ganhar massa muscular' Técnica do 'The Voice Brasil' está mais focada em ganhar energia do que 'ter um corpo lindo'


Quem mora no nosso país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza já sabe que em fevereiro... Tem carnaval! Claudia Leitte então nem se fala! O coração da foliã mais bagunceira de todas já está batendo em ritmo de bateria de escola de samba. Com o samba no pé vindo praticamente de berço, a técnica do The Voice Brasil foca nos cuidados com o corpo para curtir a folia do jeitinho que ela gosta. Na dieta da cantora, carboidratos e raízes ganharam destaques. Mais do que um corpinho bonito – e que corpinho! – ela quer energia de sobra. “Comecei minha maratona de carnaval que faço todos os anos. Começo sempre nesse período, mais para o final de novembro. É uma alimentação mais regrada, com mais carboidrato, eu intensifico as raízes e a minha malhação é toda voltada para eu ter a energia que preciso. Já tenho, mas ter um banco de reserva é muito mais importante do que ter um corpo lindo. O corpo fica lindo se você trabalha para se sustentar de fato nessa maratona”, acredita Claudia, que completa: “Não quero ganhar massa muscular. Nunca fiz um trabalho voltado para me tornar uma supermulher com muita perna, muito corpo”. Em 2016, a vida vai mais uma vez se dividir entre o carnaval de Rio de Janeiro e Salvador. Como de costume, ela promete arrastar multidões com o bloco Largadinho e, na Cidade Maravilhosa, vai agitar a Sapucaí como rainha de bateria da Mocidade Independente de Padre Miguel, cargo que estreou neste ano. Superado o frio na barriga, Claudinha quer só samba e água fresca. “Agora eu já sei como é. Dá vontade de que chegue logo o dia só para eu relaxar e me divertir muito”. No samba aliás, Claudinha se sente em casa. Sabe aquela sensação de déjà vu? Então... “Eu nasci com o samba. Sambo desde pequena, aprendi com uns seis anos. Eu fazia dança moderna, contemporânea, no fundo da igreja da minha rua. Tinha aula de tudo, de dança, de canto... e era uma coisa de graça para a comunidade onde eu morava. Eu fazia tudo. Aprendi a sambar assim”, lembra a cantora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário